UBS - PARQUE DO RIACHO

A dinâmica dos espaços de cuidado com a saúde possuem uma natureza íntima e sensível. O projeto para a Unidade Básica caminhou para além do programa de necessidades, fluxos e acessos, e buscou os valores da dignidade e acolhimento na sua qualidade espacial. Um projeto desenvolvido a partir de conceitos simples, que permitiu a complexidade apenas nos detalhes e no vazio principal: o pátio arborizado.

 

O vazio localizado ao centro da edificação transforma a ambiência da UBS. A presença da vegetação e a entrada da luz natural geram dinâmicas espaciais que ampliam a sensação de bem-estar durante o período de permanência dos usuários. O pátio possui ainda um papel essencial na consolidação dos parâmetros bioclimáticos utilizados na unidade.

 

 

O projeto se desenvolveu a partir de uma distribuição térrea guiada pela logitudinalidade do terreno. Esse partido valoriza uma construção menos onerosa que utiliza fundações e estruturas menos robustas e complexas, prescinde de circulações verticais e favorece a acessibilidade plena. A lógica construtiva obedece a uma modulação que amarra os eixos da estrutura, utilizando vigas e pilares metálicos pela racionalidade e praticidade do sistema.

Consonante com as demais instalações, a cobertura é montada com telhas termoacústicas e as vedações internas executadas em gesso acartonado, que além de otimizar a execução, permitem simples flexibilização futura dos espaços internos.

 

 

A distribuição do programa foge da convencional “grande sala de espera” através de espaços reduzidos setorizados ao longo do edifício, dinamizando os fluxos e o atendimento aos usuários. Por otimizar o uso da ventilação e luz naturais, as esperas foram posicionadas no perímetro do volume, preservando a circulação em torno do pátio. As áreas técnicas e administrativas foram localizadas ao fundo da edificação, próximas ao acesso secundário. A recepção e o auditório encerram o volume nas fachadas noroeste e sudeste.

 

 

A concepção do projeto buscou o equilíbrio entre os aspectos construtivos, programáticos e as soluções bioclimáticas, considerando uma abordagem holística dos sistemas. As vedações e fenestrações foram tratadas com especial cuidado para maximizar as suas capacidades de contribuição para o conforto térmico da edificação. As telhas são em tonalidade clara, preenchidas com material termoisolante, e as paredes externas são duplas com uma camada de EPS entre elas, afim de reduzir a sua condutibilidade térmica. O edifício é composto por diferentes tipos de esquadrias operáveis para melhor atender as demandas de luz e ventilação natural de acordo com cada ambiente ou condicionante climática.

 

 

O projeto para Unidade Básica de Saúde considera a humanização do espaço como fator essencial para a qualidade do serviço de atendimento. As soluções projetuais resolvem as necessidades programáticas aliadas a uma forma arquitetônica simples que, a partir de sua relação com o pátio interno, favorece a sensação de bem-estar dentro da edificação. A escolha dos sistemas e materiais reforça a preocupação em tornar a execução racional, com custo adequado, permitindo o uso eficiente do edifício.

 

Ficha Técnica

Concurso Nacional para Unidade Básica de Saúde de Riacho Fundo – CODHAB (2016)

Projeto: Iuri Nascimento, Larissa Vitta, Maria Clara Medrado e Rodrigo Arruda

Colaboração: Rafael Ferraz (Perspectivas eletrônicas)

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
CONTAto

contato@atelier6.arq.br

Iuri Nascimento +55 71 988 115 294

Larissa Vitta +55 71 991 103 320

Rodrigo Arruda +55 71 981 291 408

Untitled-1-Recovered.png